Mulheres de Itabuna e Ilhéus organizam atividades em referência ao 8 de Março

A data que marca o Dia Internacional de Luta das Mulheres, 8 de Março, impulsiona ações em torno dessa bandeira por diversas partes de mundo.

Em Itabuna está prevista a realização de um ato público, com saída a partir das 15 horas, do Jardim do “Ó”. O ato vai encerrar com um Sarau na Praça Olinto Leone. Já em Ilhéus, um “Slam” (competição de poesia) acontecerá na pista de skate, que fica na Avenida Soares Lopes, a partir das 16 horas. O evento de Ilhéus também vai contar com o “Pocket Show”, da Rapper Lunah MV, e uma sessão de microfone aberto para outras intervenções artísticas.

Mulheres na luta por democracia

28660426_2102346819998307_7130842883917533047_n

Com o tema “Mulheres na Luta por democracia”, o ato em Itabuna fará a denúncia das péssimas condições de vida imposta pelo sistema patriarcal, que determina tarefas a partir do gênero. Responsabilizar exclusivamente às mulheres por tarefas domésticas e o cuidado com os filhos é um dos exemplos. Essa lógica acaba muitas vezes impondo uma tripla jornada à mulher trabalhadora, que vê sua vida ainda mais ameaçada pelos cortes nos serviços públicos e nos direitos implementados pelo governo golpista de Temer. O ato também denunciará o julgamento político/jurídico-seletivo do ex-presidente Lula, e defenderá seu direito a uma candidatura. Saiba mais no site do evento.

Slam das Xota

28684819_779059585617822_4720844884598970393_n

Dando ênfase ao protagonismo das mulheres através da arte, o “Slam das Xota” pretende dar voz e vez às denuncias contra a exploração e opressão. A copetição de poesia, mundialmente conhecida como “Slam”, vai acontecer pela primeira vez em Ilhéus. São 10 vagas iniciais para as mulheres que queiram competir, podendo se inscrever através da pagina Web do evento, ou no local até meia hora antes da competição. Saiba mais no site do evento.

Para diretoria da ADUSC, o protagonismo das mulheres na organização da luta em torno de suas pautas específicas é importante, mas a participação de todos é muito importante. O ANDES – Sindicato Nacional, do qual a ADUSC faz parte, aprovou, em seu último Congresso, várias medidas nesses sentido. A luta pela legalização do aborto e pelo fortalecimento de ofertas de políticas públicas de saúde direcionadas aos direitos sexuais e reprodutivos, para atender às mulheres, foi uma das principais deliberações no Congreso. O Sindicato Nacional também vai intensificar a luta contra a PEC 181/15, que inclui um substitutivo proibindo o aborto até mesmo em casos de estupro e de risco à vida da mulher. Foi definido também, nesse Congresso, que as seções sindicais, em articulação com os movimentos sociais, lutem em suas instituições de ensino para criar espaços que recebam denúncias e acolham vítimas de assédio sexual e moral, do machismo e de outras formas de opressão, assim como apurem as denúncias com transparência, entre outras deliberações.

Confira os materiais da campanha do ANDES-SN no combate ao assédio sexual

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.