Reuniões ampliadas da ADUSC fortalece radicalização das lutas em defesa dos salários, dos direitos docentes e das Universidades Estaduais Baianas

07.01 reunião ampliada 11

 

A diretoria da ADUSC está realizando uma série de reuniões ampliadas com a participação da categoria para construção conjunta de propostas de mobilização em torno da pauta de reivindicação 2017. A primeira reunião ocorreu no dia 1º de Junho na sede da associação. Na oportunidade, os docentes discutiram o não cumprimento dos direitos trabalhistas, a corrosão salarial decorrente da não reposição inflacionária, o assédio imposto pela operação DE (regime de Dedicação Exclusiva), e o corte da insalubridade que ainda não foi restituída a parte dos docentes.

 

Dentre os encaminhamentos, uma nova reunião foi agendada para a próxima quarta-feira, 7 de Junho, às 14 horas, na sede da ADUSC.

 

Os ataques do governo Rui Costa às universidades têm sido denunciado e combatido com muito empenho pelo Fórum das ADs. Além das tentativas de diálogo, das paralisações e dos protestos, uma campanha de mídia já está nas ruas, com outdoor, spot nas rádios, cartazes nas mídias sociais e impressos. As assessorias jurídicas das ADs também se reuniram no dia 22 de maio, e traçaram estratégias para uma ação unificada por via judicial (saiba mais). No entanto, a luta política é fundamental na defesa das Universidades Estaduais Baianas (UEBA) e dos direitos dos docentes.

 

07.01 reunião ampliada 1Para fortalecer o movimento de radicalização, após amplo debate, os (as) associados(as), presentes na reunião ampliada, apresentaram alguns indicativos de luta. Além de fortalecer e aprimorar a campanha de mídia, os docentes consideraram importante desconstruir o discurso do governo em torno do limite prudencial como justificativa para o não pagamento do Reajuste Linear. Segundo o professor Sócrates Moquete (DCIE / UESC), o limite prudencial não obriga o governo a congelar salários, e o teto do limite de gastos com a folha de pagamento só é atingido quando chega a 54 % dos recursos do Estado. Uma comissão formada por membros da diretoria e da base, também, ficará responsável por levar às plenárias departamentais as informações sobre a luta do Movimento Docente.

 

Para o presidente da ADUSC, José Luiz de França, a reunião foi bastante produtiva e a expectativa é que mais docentes participem desse processo coletivo de construção da resistência. “Estamos vivendo um momento de forte tensão política no país, e os ataques têm sido cada vez mais grave. Por isso precisamos fortalecer a luta e usar todas as estratégias necessárias, tendo no horizonte inclusive a possibilidade de greve ainda esse ano”, afirma José Luiz.
Próxima reunião

DATA: dia 07/06, quarta-feira
HORA: às 14h.
PAUTA: Calendário de mobilização em defesa das Universidades Estaduais e dos Direitos Docentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.