GT de Insalubridade indica incoerência na avaliação do Governo

GT Insalubridade-01_03.03.20

O Grupo de Trabalho (GT) de insalubridade reuniu professores da UESC, na tarde de quinta (dia 3), para discutir as resposta do governo após a ação das AD’s. Foram 203 professores do quadro da UESC que tiveram os adicionais de insalubridade cancelados sem aviso prévio, em novembro de 2015. O GT abordou a irregularidade administrativa no processo de corte das insalubridades e as limitações técnicas da atual proposta de reavaliação através de questionário. Os docentes ressaltaram a irregularidade administrativa do governo, que poderia ter realizado uma auditória antes do corte das insalubridades. Aproximadamente 144 professores já responderam administrativamente para reaver o adicional.

Os questionários   encaminhados pelo governo para reaver o adicional deslocam o foco da avaliação, segundo a prof. Marcia Valéria, especializada em normas técnicas. O critério apontado pelo questionário desconsideram diversas questões referentes a natureza da atividade e o nível de exposição as condições insalubres, enquanto elege como principal aspecto para avaliar a insalubridade as condições do lugar e o tempo de permanência. A professora explicou que o laudo deve ter condições de avaliar a insalubridade por uma conjunção de fatores, como no caso de professores e professoras que trabalham diretamente no hospital, ou que utilizam microscópios eletrônicos, apontando a insuficiência do questionário em aferir com precisão estas questões.

A atitude de corte do governo também desrespeitou os laudos ainda em vigência, do ano de 2008, que não foram contestados nem avaliados por processo interno de auditoria para subsidiar as decisões de corte. Os professores ressaltaram no GT, “imagina se com corte da nossa insalubridade, a classe docente resolvesse abandonar a atividade laboratorial, refletindo o corte, quanto prejuízo não causaria?” destacou coordenador da ADUSC Emerson Lucena.

A questão será permanentemente pautada pelo grupo de trabalho, que se reunirá novamente antes da reunião agendada para o dia 14 entre o Fórum de Reitores das UEBA’s e representantes das quatro associações de docentes da UEBA’s, ADUSC, ADUSB, ADUNEB e AFUSC, como resultado da atuação unificada sobre a pauta comum.

 

ASCOM-ADUSC / 7 de março de 2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.