Fórum das ADs e SAEB criam comissão para acelerar restituição do adicional de insalubridade

O fórum das ADs, com a presença do GT de insalubridade da ADUSC e das demais ADs, apontou a ilegalidade do corte do adicional de insalubridade para o Superintendente de recursos humanos da SAEB, Adriano Tambone, e o presidente da junta médica, Carlos Caldas, em reunião ocorrida em Salvador no dia 15.

IMG_4033

Os professores ressaltaram o desrespeito ao laudo em vigência e a não verificação da junta médica antes da suspensão do adicional, configurando ilegalidade administrativa. O superintendente Adriano Tambone justificou o corte com a intenção de impedir que alguns professores recebessem o adicional indevidamente. E ressaltou que muitos dos processos visando à restituição do adicional, que foram encaminhados para a SAEB, precisavam de mais informações sobre as condições de trabalho dos professores.

Para reverter rapidamente a situação, foi acertada a criação de uma comissão interinstitucional, para acompanhar os processos e garantir agilidade, facilitando o retorno das informações para a SAEB.

O Fórum das ADs reiterou o compromisso do governo com o pagamento da retroatividade dos adicionais, o que foi confirmado pelos representantes do governo.

 

No retorno à UESC, foi verificado com o gerente de recursos humanos, Expedito Santana, que do total de 187 processos de solicitação de revisão da perda de insalubridade, 121 processos já retornaram à universidade, sendo que 3 foram indeferidos e dois entraram em diligência, porque os professores estão afastados para qualificação docente. Restando agora 66 processos para serem avaliados.

 

A diretoria da ADUSC entende que a mobilização realizada pelos professores, através do sindicato, mostrou-se como o melhor caminho para garantir os direitos ilegal e arbitrariamente retirados pelo governo do estado.

 

Ascom-ADUSC / 18 de março de 2016

*sem ônus para publicação

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.